Em 1993 eu tinha 15 anos e eu ganhei meu primeiro computador pessoal. Foi um MSX (que anos depois descobri que significa MicroSoft eXtended). Eu o liguei e logo em seguida apareceu a famosa tela azul do BASIC (que na √©poca que ainda n√£o era uma de erro) com um prompt. Ent√£o aguarde¬†que o PC ‘falasse’ comigo. Ap√≥s alguns segundos nada aconteceu. Ent√£o tomei a iniciativa e digitei ‚ÄúFale comigo! Para minha surpresa,¬† tamb√©m n√£o aconteceu nada‚Ķ.kekekekekeke.
N√£o desisti e fui atr√°s de como fazer que a maquina falasse comigo¬†e descobri que era preciso digitar linhas e linhas de c√≥digo (rotinas) para fazer um programa e ai sim, ele seria¬† ‚Äėinteligente‚Äô. Me senti t√£o envergonhado que nunca tinha contado essa hist√≥ria pra ningu√©m.

Challenge Accepted. Comecei a estudar e¬†em 1996 tirei 1¬ļ lugar na etapa estadual de um concurso nacional de programa√ß√£o. Era um programa criar tabelas de jogos de futebol para intercalasses. Depois que aprendi que computador √© burro, desisti de querer conversar com eles.

Com o passar o tempo eu pensei: ‘se eu tenho que ensinar exatamente tudo, T-U-D-O- que o computador deve fazer para que ele se torne inteligente, essa intelig√™ncia n√£o era exatamente o que eu tinha em mente’.

Hoje relembrei desse epis√≥dio ocorrido comigo e me toquei que atualmente eu converso com o ‚Äėcomputador‚Äô por v√°rios meios como pelo (momento babaca :D) celular (iPhone), pelo carro (CarPlay), pelo rel√≥gio (Apple Watch) e pela TV (Apple TV). E mais, finalmente eu consegui fazer com que o ‚Äėcomputador‚Äô me obedecesse a ponto de eu dizer ‚Äúligue as luzes de casa‚ÄĚ, ou ‚Äúligue as luzes da sala‚ÄĚ e ele me obedecer. ;)

E, finalmente, aqui est√° a resposta da pergunta que fiz anos atr√°s…